Prefeitura e USF realizam oficinas participativas na Zona Rural

Publicado em: 23/11/2018

Participação popular integra os trabalhos para a atualização e revisão do plano diretor do município.

Os trabalhos para a revisão e atualização do Plano Diretor do Município seguem por meio da Comissão Especial do Executivo, das Câmaras Temáticas e do Grupo Gestor com técnicos, profissionais, docentes, estagiários e demais envolvidos. A Prefeitura de Bragança Paulista e a Universidade São Francisco realizam as últimas oficinas participativas de apresentação do diagnóstico à população na Zona Rural. As oficinas são instrumentos diretos que possibilitam a participação efetiva da população nesse processo.

A primeira oficina da Zona Rural aconteceu nesta quinta-feira (22/11) na Escola Municipal Rural Eugênia de Souza Camargo, no Biriçá do Campinho, reunindo comunidade, alunos, técnicos, estudantes, entre outros. O Secretário Municipal de Planejamento, Presidente da Comissão Municipal Especial para a Revisão e Atualização do Plano Diretor e membro do Grupo Gestor da Prefeitura e USF Marcelo Alexandre Soares da Silva; Eduardo Simões, Chefe da Divisão de Regularização e Parcelamento do Solo - RESOLO; funcionários e técnicos do executivo; estagiários e docentes da USF; e Glacir T. Fricke, Coordenadora Geral do Grupo Gestor também acompanharam.

Seguindo a dinâmica adotada nas demais oficinas, houve a apresentação de um vídeo para estimular a participação da população, uma apresentação resumida do diagnóstico da cidade e atividades que contemplam questionamentos sobre aspectos positivos e negativos da cidade, organização dos resultados e discussão com a população.

O diagnóstico apresentado envolve o levantamento de dados e pesquisas das Câmaras Temáticas de Saúde, Desenvolvimento e Assistência Social, Turismo e Cultura (Esporte), Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente, Educação, Mobilidade Urbana e Circulação e Planejamento Territorial.

A próxima oficina acontece nesta sexta-feira (23/11), às 17h30, na Paróquia São Sebastião, no bairro Água Comprida.

Os próximos passos envolverão a terceira etapa da metodologia adotada - as Audiências Públicas, seguindo para a compilação dos dados técnicos, elaboração da minuta do Projeto de Lei, aprovação na Câmara Municipal e, finalmente, a promulgação pelo Executivo.