Destaque na região: Bragança Paulista é a cidade que mais criou empregos em agosto

Publicado em: 27/09/2019

Concentrando esforços no saneamento financeiro, a atual Administração tem trabalhado para trazer a Bragança Paulista mais investimentos e com isso gerar mais empregos e oportunidades. Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), Bragança Paulista foi a cidade que mais criou emprego com carteira assinada na região bragantina e a segunda se comparada ao Vale do Paraíba.

Com o saldo positivo de 316 novos postos de trabalho em agosto, o município está em primeiro colocado na região bragantina, seguido por Atibaia com 97 e Pinhalzinho com 23 empregos gerados. Abrangendo o Vale do Paraíba, Bragança Paulista ficou atrás apenas de São José dos Campos.

Os dados também são positivos em comparação com o Estado de São Paulo, em agosto Bragança teve variação positiva de 0,70% e o Estado 0,27% e no acumulado dos últimos doze meses Bragança teve a variação de 2,01%, enquanto que o Estado de 1,29%. O setor que mais se destacou nos últimos doze meses no município foi o da construção civil, que teve um saldo positivo de 27,76%, sendo que o estado de São Paulo registrou apenas 1,95%. No setor de serviços, Bragança teve uma variação de 4,43% e o Estado de 2,18%.

O Prefeito em exercício Amauri Sodré ressaltou que a Administração tem se empenhado para promover mais oportunidades e empregos, com foco no desenvolvimento econômico, a fim de contribuir para o crescimento de vagas de trabalho e que nos próximos dias a Administração deve enviar à Câmara Municipal um projeto de Lei para incentivar os investimentos no município, consequentemente, gerar mais empregos.

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), oferece vagas de emprego conforme solicitação de empresas e o interessado no cargo disponível recebe uma carta de encaminhamento para comparecer na entrevista de emprego. Segundo o Secretário de Governo Marcos Leopoldo Tasca o PAT auxiliou a empregar 2.678 pessoas entre janeiro de 2017 a agosto de 2019, conforme registrado no sistema da Secretaria Federal do Trabalho. “Saliento que esse número pode ser superior, considerando que muitas empresas não nos comunicam a contratação”, concluiu o Secretário Marcos Tasca.