Bragança Paulista está entre as seis cidades a receberem as primeiras unidades habitacionais do Programa Vida Longa

Publicado em: 01/10/2019

Anúncio foi oficializado em solenidade no Palácio dos Bandeirantes na manhã desta terça-feira (01/10) em cerimônia em alusão ao Dia Internacional do Idoso.

O Vice-prefeito Amauri Sodré e a Secretária Municipal de Ação e Desenvolvimento Social Margarete Alvarenga representaram Bragança Paulista na cerimônia de ações do Governo do Estado de São Paulo em comemoração ao Dia Internacional do Idoso, na qual também foi lançado o Programa Vida Longa, em que Bragança Paulista está entre as seis primeiras cidades paulistas contempladas (Bauru, Barretos, São Roque, Bragança Paulista, São José do Rio Pardo e Santa Bárbara d’Oeste). O evento aconteceu nesta terça-feira (01/10), no Palácio dos Bandeirantes - Sala Anchieta.

A solenidade contou com as presenças do Governador João Doria, dos Secretários Flávio Amary da Habitação e Célia Parnes de Desenvolvimento Social, do Presidente da CDHU - Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo Reinaldo Iapequino, do Deputado Estadual Edmir Chedid e demais autoridades.

No evento foram tratados de temas e ações relacionadas ao Programa São Paulo Amigo do Idoso, no qual o novo Programa Vida Longa está inserido como um programa de caráter habitacional e social reformulado e aprimorado para fortalecer a socialização e a convivência, visando à longevidade com qualidade e evitando a institucionalização dos idosos.

A Administração Municipal estava trabalhando junto ao Governo de SP, com a contribuição do Deputado Estadual Edmir Chedid nas agendas nos órgãos envolvidos, para conquistar mais esse benefícios à população bragantina. Já há uma área, situada ao lado da Escola Municipal Profª Marilis Reginato Abi Chedid (Creche situada no Bairro Jardim Vista Alegre) que abrange também a área institucional do Loteamento Vino Barolo, destinada para a implantação do programa. Segundo o Governo de SP, as obras devem começar em 60 dias.

São público-alvo do programa as pessoas com 60 anos ou mais, que preferencialmente sejam sozinhas, expostas à situação de vulnerabilidade em razão de vínculos fragilizados e risco social e sem acesso à moradia. Como requisito, os idosos beneficiários não podem ter renda que ultrapasse dois salários mínimos, devem residir há pelo menos dois anos no município, além de terem autonomia para realizar tarefas diárias. O morador não pagará taxa de ocupação, nem contas de água e luz.

Em Bragança serão 28 casas incorporando os preceitos do desenho universal e acessibilidade, constituídas de cozinha, sala de estar e dormitório conjugados, banheiro e área de serviço. Para promover maior socialização dos moradores, o local deve possuir espaços comuns para convivência e lazer, academias ao ar livre, pista de caminhada, salão de convívio com área gourmet, para assistir televisão, área com churrasqueira e forno à lenha, aparelhos para atividade física, mesa de jogos, bancos de jardim, horta elevada e paisagismo. Constam no projeto itens de segurança e acessibilidade, como barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos, interruptores em quantidade e altura ideais, alarmes de emergência sonoros e luminosos, piso antiderrapante, entre outros. Recursos de acessibilidade também serão instalados nas áreas comuns para facilitar a locomoção e dar segurança e conforto ao idoso.

Uma parceria entre a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, a Secretaria da Habitação, a CDHU - Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo e a Prefeitura de Bragança Paulista. A Secretaria de Habitação destina e repassa os recursos financeiros à CDHU para a execução dos núcleos de moradias, incluindo o mobiliário das áreas comuns; a CDHU 

elabora os projetos e especificações técnicas, contrata e executa as obras e serviços e doa para a Prefeitura o terreno com as obras de edificação, urbanismo e paisagismo, incluindo os equipamentos do mobiliário das áreas comuns, quando o terreno for de sua propriedade.

A Prefeitura deverá identificar e selecionar beneficiários de acordo com os critérios estabelecidos em legislação específica que deve ser aprovada, elaborar um Projeto Social conforme modelo e diretrizes estabelecidos pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e realizar a gestão social dos núcleos.

Com mais esse benefício à população bragantina, a Administração do Prefeito Jesus Chedid e Vice Amauri Sodré amplia a política de atendimento e proteção à população idosa, com foco nos mais vulneráveis, como previsto no Plano de Governo dessa gestão, pensando sempre na longevidade com qualidade de vida.