Prefeitura regulamenta restrição à circulação de caminhões no município

Atualizado em: 12/07/2017

A Administração Municipal vem estudando ações e políticas públicas para viabilizar melhorias no trânsito da cidade e, consequentemente, no fluxo do tráfego de veículos diariamente, demanda que se tornou uma das prioridades dessa gestão. Em virtude disso, foi publicado o Decreto nº 2484, em 12 de maio de 2017, que trata da restrição do tráfego de veículos pesados nas vias da cidade.

Com o início da restrição no próximo dia 17 de julho, a Prefeitura de Bragança Paulista, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, traz uma portaria que regulamenta a operacionalização da medida adotada, considerando, principalmente, a importância de garantir o abastecimento, a prestação de serviços e a segurança da população, bem como a melhoria das condições de mobilidade de pessoas e bens, e da operação e fiscalização de trânsito nas vias do Município.

A restrição do tráfego de veículos pesados valerá de segunda a sexta-feira, entre 7h e 22h, na Avenida Dom Pedro I (nos dois sentidos), Avenida dos Imigrantes (nos dois sentidos) entre a Praça Nove de Julho e a rotatória da Avenida Doutor Plínio Salgado - acesso ao Circuito das Águas, e Avenida Alberto Diniz, também nos dois sentidos.

Cabe ressaltar que os caminhões com placa de Bragança terão restrição apenas das 7h às 9h e das 17h às 19h, podendo circular livremente fora desses horários, assim como aqueles que farão obras e serviços de infraestrutura urbana e prestação de serviços públicos essenciais.

Estão dentro dessa excepcionalidade, desde que devidamente cadastrados junto à Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Bragança Paulista, os caminhões que terão acesso a pátio ou estacionamento próprio, aqueles destinados ao transporte de máquinas, equipamentos e materiais básicos para construção civil e afins, utilizados nas feiras livres, nas mudanças, e no transporte de produtos perigosos de consumo local e produtos alimentícios perecíveis. Empresas sediadas na cidade que não possuam frota própria e utilizam serviços de caminhões com placas de outra cidade também deverão realizar o cadastro.

O cadastro dos veículos enquadrados nas exceções à regra poderá ser realizado na Secretaria de Mobilidade Urbana, situada na Rua José de Oliveira, 15, Jardim Júlio Mesquita Filho. Informações no telefone (11) 4035-0742.

A empresas poderão realizar o cadastro dos veículos que lhe prestem serviços no sistema online disponibilizado no seguinte endereço http://braganca.sp.gov.br/ctc/index.php nos dias em que o veículo trafegará na cidade.

Não será restringido o tráfego dos veículos destinados à urgência, ao socorro mecânico de emergência, cobertura jornalística, coleta de lixo, obras e prestação de serviços de emergência, correios, serviço emergencial de sinalização de trânsito e ao transporte de valores.

A fiscalização será realizada por agentes de trânsito e eletronicamente, pelos mesmo equipamentos de OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres, na tradução literal) e radares de velocidade.

Por determinação do Prefeito Jesus Chedid, nos primeiros dias haverá auxílio dos agentes de trânsito na fiscalização, que vão orientar os motoristas até a adaptação às novas regras.

A sinalização vertical específica para a medida será implantada entre os dias 13 e 14 de julho com a instalação das placas de sinalização. A partir de segunda-feira, 17, os motoristas que infringirem as novas regras estarão sujeitos às penalidades cabíveis (perda de 4 pontos na carteira de habilitação e multa pecuniária no valor de R$ 130,16).

“Hoje, temos mais ou menos 2 mil caminhões por dia transitando nessas vias, o que impacta muito no trânsito. Ainda não é possível a construção de um anel viário ou uma perimetral para a solução dos problemas, por isso estamos utilizando medidas restritivas, alinhadas ao Plano de Mobilidade Urbana, que almeja privilegiar o transporte público. É importante ressaltar que como conseguimos a doação das placas, junto às concessionárias Rota das Bandeiras e Autopista Fernão Dias, e a configuração do sistema de monitoramento não gerou nenhum custo extra, não iremos onerar os cofres públicos com essa medida”, esclarece o Secretário de Mobilidade Urbana, Manoel Botelho.