Centro Cultural Teatro Carlos Gomes recebe exposição de arte contemporânea “20 anos Arte Serrinha”

Em 2021, o Festival Arte Serrinha, um dos principais eventos que integram Arte e Natureza do Brasil, comemora 20 anos de existência. Para enaltecer duas décadas de história do festival, o Centro Cultural Teatro Carlos Gomes, espaço gerenciado pela Prefeitura de Bragança Paulista, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, abre neste sábado (16/10), às 15h, a exposição retrospectiva “20 anos Arte Serrinha”.

A mostra gratuita fica em cartaz até 25 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 08h às 18h. Organizada em três espaços, a exposição mostra a junção da Arte e Natureza através de 30 obras de importantes artistas que marcaram a história do festival ao longo de sua trajetória, em diversas linguagens artísticas como pintura, fotografia, gravura, instalação, vídeos, além de cartazes e matérias de jornais e revistas e publicações.

As criações estarão dispostas no átrio central e nos salões de exposições, ambos localizados no térreo do prédio. De acordo com o curador da mostra, Fábio Delduque, o átrio receberá obras que ampliam nossa visão sobre o mundo e a natureza, ambientando o local com fotografias, instalações e documentações elaboradas ao longo das edições dos eventos.

O primeiro salão de exposições exibe obras de grandes personalidades que contribuíram com o Festival ou com a arte brasileira das últimas décadas. Já o segundo salão receberá o legado educativo do Festival de Arte Serrinha, expondo registros de palestras, shows, entre outras realizações.

“Celebrar os 20 anos de história do Festival Arte Serrinha em um lugar tão representativo como o Centro Cultural Carlos Gomes é uma grande honra. O festival, conhecido por trazer os maiores nomes da arte para a zona rural bragantina agora será representado na primeira exposição de arte contemporânea montada neste espaço, que também já foi pioneiro na cultura paulista”, explica o curador Fábio Delduque.

No decorrer da visita, o público conhecerá peças únicas que dialogam entre si e unem arte, cultura, educação e natureza. Dentre os artistas presentes estão Leda Catunda, Luiz Hermano, José Spaniol, Dudi Maia Rosa, Laura Vinci, Caio Reisewitz, Luiz Braga, Ayrson Heráclito, Rochelle Costi, Gal Oppido, Rodrigo Braga, Cassio Vasconcelos, Fábio Delduque, Lucas Bambozzi, Bené Fonteles, Edith Derdyk, Rodrigo Bueno, Eduardo Sur e Coletivo Bijari, e os artistas bragantinos Bia Raposo, Matias Spacial, Shel Almeida, André Pitombo, Fernanda Zerbini, Manu Romeiro e Hilton Mercadante.

A exposição "20 anos Arte Serrinha" conta com o apoio da Prefeitura de Bragança Paulista, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, e patrocínio da Energisa.

Artistas e Obras

 

  • Leda Catunda - Bicho II - 2000 1,53 x 1,14 m acrílico sobre tecido e tela
  • Luiz Hermano - Lavoura 1,70 x 2,00 x 0,07 m fios de cobre e ferro
  • José Spaniol - Tiamm Schuoomm Cash! (bambus) 2016, Impressão sobre alumínio, 110x165 cm 2/5, Tiamm Schuoomm Cash! (contra luz) 2016, Impressão sobre alumínio, 165x106 cm, 2/5
  • Dudi Maia Rosa - Sem título, 2009 Resina poliéster pigmentada e fibra de vidro 1,70 x 1,70 m
  • Laura Vinci - Instalação 87 peças de mármore de 0,51 x 0,13 x 0,08 m
  • Caio Reisewitz - Oriximiná, fotografia, 2006 0,89X0,89m
  • Ayrson Heráclito - Òsún com seu filho no colo fotografia, 2020 - 1,20 x 1,20 m
  • Rochelle Costi - Flores Mortas, da série Toalhas -1996 impressão sobre lona plástica 1,32 x 1,90 m
  • Gal Oppido - Carbonários, fotografia 2020, 0,50 x 0,67 m
  • Rodrigo Braga - Abrigo de Paisagem/ Veículo de Passagem, vídeo -instalação 2015
  • Luiz Braga – fotografia
  • Cassio Vasconcelos - Viagem Pitoresca_#51 - 2018 fotografia 0,80 x 0,534 m
  • Fábio Delduque - Serrinha, 2012 1,95 x 1,57 m -óleo sobre tela
  • Lucas Bambozzi - A vingança é um tipo de justiça selvagem- vídeo instalação 2016
  • Bené Fonteles - Livro de artista, 2011 0,53 x 0,40 x 0,07 m
  • Eduardo Sur - Arte Salva, boia salva vidas 2011 (0,50 m de diâmetro) e fotos das performances
  • Coletivo Bijari - Granada MK2, 2012 Ferro e fita de LED, 1,00 m de diâmetro 1,30 m (h)
  • Bia Raposo - Ateliê Palavra 2018, acrílico sobre painel 1 x 1 m
  • Matias Spacial - 0,40 x 0,60 m
  • André Pitombo Fragmentos Dela, 2020 colagem 0,88 x 1,38 m

 

Serviço

Abertura: 16 de outubro, às 15h

Local: Centro Cultural Carlos Gomes, Rua Conselheiro Rodrigues Alves, 251 - Centro

Horários: Segunda a sexta-feira. das 08h às 18h

Visitação: até 25 de novembro

Entrada gratuita

Arte Serrinha 2016, foto Carol QuintanilhaMula Sem Cabeça , obra do coletivo BIJARI Performance Gastronomica de Neka Menna BarretoPistoletto 6 nov  (7)