Prefeitura suspende temporariamente estabelecimentos e serviços não essenciais nos bairros Águas Claras e Planejada II

Planejada II

A Prefeitura de Bragança Paulista tem trabalhado arduamente no combate e enfrentamento ao novo Coronavírus (Covid-19). Inúmeras medidas foram adotadas nos últimos meses, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério Público do Estado de São Paulo, bem como as determinações dos decretos do Governo. 

Visando a segurança, o freamento do contágio e disseminação do vírus e, sobretudo, a preservação à vida das pessoas, nesta sexta-feira (26/06), foi publicado o Decreto nº 3.316, que dispõe sobre a suspensão temporária do funcionamento de estabelecimentos comerciais e serviços de atendimento ao público nos bairros Jardim Águas Claras e Planejada II, até o dia 30 de junho. As atividades de saúde, farmácias, mercados, supermercados, gás e água podem funcionar normalmente.  

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde e do Comitê de Crise para Supervisão e Monitoramento dos Impactos da Covid-19, esses bairros apresentam o maior índice da doença, representando 11,5% de todos os confirmados e 23,1% de todos os óbitos.

Nesses bairros, assim como em toda cidade, têm ocorrido distribuição de máscaras, álcool em gel e água sanitária pelas equipes de saúde e voluntários do Fundo Social de Solidariedade; carro de som informando a população sobre a pandemia, pedindo que façam uso de máscara, mantenham o distanciamento social; higienização dos espaços públicos; campanhas de conscientização; entre outras ações. 

Entre 1 e 22 de junho, os agentes da Vigilância Sanitária realizaram entre inspeções, notificações e fechamento de estabelecimentos, cerca de 100 ações nesses dois bairros.

Essa medida fez-se necessária, pois, embora o Poder Público tenha realizado tudo que estava ao seu alcance, parte da população desses bairros não está aderindo às medidas preventivas individuais e coletivas, ficando expostas a contaminação pela Covid-19 e podendo vir a comprometer o sistema de saúde pública, notadamente os leitos de terapia intensiva.